TRANSLATE:
header_logo
Login
LIDERANÇA
Três coisas que o presidente da empresa nunca deve delegar
Se você acha que pode simplesmente entregar o financiamento e as relações com investidores para um especialista, pense novamente
O empreendedor Dan Shapiro foi um CEO (presidente) por três vezes e que levantou mais de US$ 30 milhões em capital de risco. Em 2011, o Google comprou uma de suas startups, a Sparkbuy. Desde então, ele trabalha no Google. Ele está escrevendo sobre essas experiências em um livro chamado “Startup Segredos do CEO”.

Como isto pode ajudar você hoje? Antes do lançamento do livro, Shapiro organizou suas experiências em algumas lições valiosas para os empresários de hoje. Ele apresentou algumas dessas lições em uma palestra fascinante 20 minutos na recente “Conferência Dent", que teve lugar no Sun Valley Resort em Idaho, no mês passado.

A palestra de Shapiro teve o nome de “As seis coisas que você não pode delegar”, e o "você", se refere ao principal executivo / CEO . Aqui estão três das seis coisas:


1. Fundraising

"Você não deveria apenas contratar alguém que já fez isso antes? "Shapiro pergunta retoricamente. "Você pode", ele responde. “Mas você vai passar a chamá-lo de CEO.

Seu ponto é que os investidores sempre vão querer uma linha direta para o CEO. A partir dos filmes de cinemas, você pode ter lembranças de inquietos CEOs que se cansam de ter reuniões com investidores, e eles poderiam estar trabalhando de fato e criando em vez de se sentar em uma mesa de fazer negócios.

A mensagem de Shapiro, em poucas palavras, é que você deve estar totalmente engajado no financiamento. "Os investidores querem ver você fazer a negociação", diz ele. "Eles sabem como você fará o andamento de seus outros negócios".

Você pode estar pensando: como posso ser a pessoa que faz toda a negociação quando eu não sei nada sobre o financiamento?

Nada a temer. Shapiro recomenda um livro chamado “Venture deals: seja mais esperto do que seu advogado e seu capitalista de risco” por Brad Feld e Jason Mendelson . "Este livro é a Bíblia", diz ele, exaltando a forma como ele vai ajudar você a compreender todos os conceitos essenciais de financiamento que você precisa para dominar como um CEO.


2. Relações com Investidores

Como isso é diferente de angariação de fundos? Pense nisso desta maneira. Captação de recursos é o ato de levantar o dinheiro e descontar os cheques. Relações com investidores estão todas as conversas que você tem com seus investidores depois, alguns dos quais se tornarão membros da diretoria, explicando-lhes como você está gastando o dinheiro.

Por que essas conversas são importantes, depois de você ter descontado os cheques? Por um lado, se você está construindo uma empresa para o longo prazo, você vai ver esses investidores por um longo tempo - sete anos ou mais, diz Shapiro. É preciso mantê-los felizes. É preciso continuar a mostrar que você é a melhor pessoa para administrar a empresa. Nada disso vai acontecer, se você delegar relações com investidores para outra pessoa. "Os investidores também querem construir um relacionamento, e eles não podem fazê-lo se eles estão sempre conversando com um contador", diz ele.

Além disso, os investidores felizes vão continuar a nutrir a sua empresa e ajudá-la a crescer. Não só eles estarão dispostos a participar em rodadas posteriores de financiamento, mas também "enviar muitas páginas de carta de referências".


3. Cultura da empresa

"Seja qual for a cultura, ela deve vir do líder", diz Shapiro. Você provavelmente já sabia disso, em princípio. Mas você pode fazê-lo, na prática?

É uma coisa se comportar como você mesmo, o tempo todo . Mas agora que você é o líder de uma organização florescente, você precisa pensar sobre como sua equipe vai perceber o seu comportamento. "Você pode estar apenas formando um culto de personalidade em torno de suas peculiaridades melhores ou piores", observa Shapiro.

Este simples fato deve lhe dar alguma reflexão. Shapiro incentiva CEOs a iniciar a partir deste ponto, e para "tentar orientá-la em direção a algo positivo". Se você relaxar na sua expressão - se você está confortável falando apenas o que vem a sua mente ou agindo à sua vontade, embora possa ser autêntico - você pode estar inadvertidamente criando uma cultura de trabalho pobre, na medida em que o seu comportamento não é orientado para sua equipe.

Por outro lado, se você é um cidadão modelo o tempo todo, você tem pouco com que se preocupar.


Fonte: traduzido de artigo de Ilan Mochari em inc.com, 22/04/14
Apoio:
xhl


sicredi
Blog
A tecnologia pode ajudar a sustentabilidade do sistema de saúde do Brasil
A discussão de compliance e ética no CQH 2018
Destaques
2019 - Concursos para obtenção de título de especialista em medicina preventiva e certificado de área de atuação em administração em saúde
CQH: Hospital Regional de Presidente Prudente recebe selo
Em 25/10/2018, o Hospital Policlin de Taubaté recebeu selo do Programa CQH
Santa Casa de Limeira recebe Selo de Conformidade do Programa CQH
Haino Burmester é homenageado por trabalho à frente do CQH
Hospital Netto Campello recebe selo do CQH
Mais Recentes
TRABALHO TEMPORÁRIO 15/07/19
ECONOMIA DO ÓCIO 05/07/19
MINDFULNESS 01/07/19
2019 - Concursos para obtenção de título de especialista em medicina preventiva e certificado de área de atuação em administração em saúde 28/06/19
MBA DE GESTÃO E INOVAÇÃO EM MEDICINA | ibcmed.com/mba-de-gestao-e-i...
28/06/19
Vaga gerente médico regional 28/06/19
Legislativo acerta ao debater a revisão do SUS 24/06/19
Saúde não é prioridade para alguns governantes 24/06/19
CARREIRA 18/06/19
Afinal, o que é cooperativismo? 17/06/19
Mais Lidas
1Manual de Indicadores de Enfermagem NAGEH 2012
2Rumo à Excelência: Critérios para avaliação do desempenho e diagnóstico organizacional
3CQH - Roteiro de Visitas
43º Caderno de Indicadores CQH - 2009
5Manual de Gestão Hospitalar
6Por que e como aderir ao Programa CQH
7Acreditação hospitalar: um movimento inexorável?
8Manual de Gestão Hospitalar do CQH
9Prêmio Nacional da Gestão em Saúde - Ciclo 2015-2016: Regulamento e Instruções para Candidatura
10Manual de Gestão - Organização, Processos e Práticas de Liderança